Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

do pipo ó copo

Ponte de Prado

do pipo ó copo

Ponte de Prado

PENSAMENTOS À LA SARTRE...

- A geração da paz, do amor livre, do idealismo e da liberdade, não deveria ter governado o mundo nestes últimos trinta anos, tendo-o transformado num lugar melhor para viver?

- Nunca chegou ao governo, porque nunca foi, o poder, uma aspiração dessa geração. Os verdadeiros idealistas, morreram com o cérebro frito em cocaína, ou de hepatite, ou overdose; outros estão internados em manicómios, presos em camisas-de-forças, aterrorizados por aranhas negras que sobem pelas paredes, até ao fim dos seus dias.

Os que sobreviveram, o sistema empurrou-os para vendedores de rua ou saltimbancos, afastando-os dos corredores de decisão, tornando as suas acções frequentemente alvo de pena, troça, chacota ou riso…

- Mas, muitos CEOs "sem alma" que hoje movem o mundo, com uma visão pragmática do lucro e do sucesso, unindo-os, pertenceram a essa geração...

- A imprensa fez essa geração, porque tendencionalmente era esquerdista e transgressora; ao exaltar os milhares que estiveram em Woodstock, ou divinizando o Maio de 68, transformou-os em ícones, temas para t-shirts, esquecendo frequentemente os milhares que apoiavam a guerra, o racismo e o colonialismo. Passou assim a imagem de um lado que representava um todo. Mas a realidade quase nunca pode ser confinada; é sempre mais do que parece…

O lado "esquecido" revelou-se mais forte, e empenhado; tomou as rédeas do mundo replicando a sua visão das coisas, excluindo todos os que não se encaixam no sistema, ou controlando os potenciais focos de discordância despejando dinheiro na engrenagem, controlando a imprensa com a factura da publicidade, a cultura com os subsídios e os governos com ppp’s e swaps…