Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

do pipo ó copo

Ponte de Prado

do pipo ó copo

Ponte de Prado

ÁLCOOL ISOPROPÍLICO

A farmácia do hospital, uma vez que fica no centro da cidade, não tem espaço para estacionamento, e por isso deixei o veículo com as rodas da frente em cima da passadeira, e em passo de corrida dirigi-me ao balcão para levantar um frasco de um manipulado qualquer de nome esquisito, para a área de engenharia, e que tinha sido pedido por telefone 20 minutos antes.

A menina que me atendeu, depois de despachar um casal que insistia e insistia que o medicamento que estavam a comprar tinha comparticipação, apesar de na embalagem dizer o contrário, não estava a par do assunto e foi chamar a chefe, que por sua vez também não sabia, e ia chamar o técnico do laboratório.

E eu a ferver, olhando para a porta, sempre há espera que um policia aparecesse para passar a multa, uma vez que a esquadra é mesmo por trás do edifício, apesar de ter ligado as 4 piscas, que, ao que parece, justificam todos os maus comportamentos rodoviários…

Neste momento aproxima-se de mim uma Freira, magrinha, carcomida pelos muitos anos acumulados nos ossos, olhos brilhantes lacrimejantes, e poisando-me uma mão levezinha no braço disse:

- Não se preocupe menino, que vai correr tudo bem.

Olhei para ela e sorri, e apesar de não ter ficado mais descansado, acabou por correr tudo bem. O técnico do laboratório, sabia o que eu queria…