links
arquivos

Novembro 2016

Outubro 2016

Abril 2016

Dezembro 2015

Novembro 2015

Setembro 2015

Agosto 2015

Julho 2015

Abril 2015

Março 2015

Dezembro 2014

Novembro 2014

Outubro 2014

Setembro 2014

Julho 2014

Junho 2014

Maio 2014

Abril 2014

Março 2014

Fevereiro 2014

Janeiro 2014

Dezembro 2013

Novembro 2013

Outubro 2013

Setembro 2013

Agosto 2013

Julho 2013

Junho 2013

Maio 2013

Abril 2013

Março 2013

Fevereiro 2013

Janeiro 2013

Dezembro 2012

Novembro 2012

Outubro 2012

Setembro 2012

Agosto 2012

Julho 2012

Junho 2012

Maio 2012

Abril 2012

Março 2012

Fevereiro 2012

Janeiro 2012

Dezembro 2011

Novembro 2011

Outubro 2011

Setembro 2011

Agosto 2011

Julho 2011

Junho 2011

Maio 2011

Abril 2011

Março 2011

Janeiro 2011

Dezembro 2010

Novembro 2010

Outubro 2010

Setembro 2010

Agosto 2010

Julho 2010

Junho 2010

Maio 2010

Abril 2010

Março 2010

Fevereiro 2010

Novembro 2009

Outubro 2009

Setembro 2009

Agosto 2009

Julho 2009

Junho 2009

Março 2009

Fevereiro 2009

Janeiro 2009

Setembro 2008

Julho 2008

Junho 2008

Fevereiro 2008

Janeiro 2008

Dezembro 2007

.......................
pesquisar
 
Novembro 2016
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
12
13
14
15
16
17
18
19
20
21
22
23
24
25
26
27
28
29
30
tags

todas as tags

favorito

SO LONG LEONARD...

SO LONG LEONARD...

MARILYN AND JOE DiMAGIO

FELIZ ANIVERSÁRIO

AQUECEDOR

PARABÉNS A MIM...

blogs SAPO
Quarta-feira, 21 de Novembro de 2012
RESPEITO

- Arranjaram-me estas sardinhas. Prepara-as para a janta, com cebolada, que o Manel e o Tone Gomes vêm cá comer.

Luísa Peixota passou a tarde a preparar e a amanhar o peixe, porque tinha fama de cozinheira e não queria as pessoas, que vinham a casa, tivessem algo para dizer.

À noite, a Rosa, o René e mais nova, a São estavam sentados num canto da mesa, cara lavada e cabelo penteado, esperando a chegada do pai com as visitas.

Estavam excitados; era uma festa surpresa, uma comemoração, um baile talvez…

O Pai chegou, disse à mãe que podia servir e os três sentaram-se. Luísa pegou na travessa das sardinhas e das batatas cozidas que tinha deixado em cima do fogão de ferro, para não arrefecer, e poisou-as em frente ao marido.

Zé Ribeiro levantou-se e pegou na travessa das sardinhas e começou a inclina-la em cima da mesa. Virou-se para a mulher, sobrancelhas carregadas…

- Mas onde raio está o molho da cebolada. As sardinhas estão secas…

- Mas Senhor meu marido, foi de estar à espera…

Zé enfureceu-se e pegou na travessa a atirou-a ao chão. A melhor que havia em casa partiu-se em mil bocados. Não satisfeito calcou com os pés as sardinhas em cebolada, esmigalhando tudo numa papa. Depois olhou para a mulher e levantou a mão… Manuel Gomes que estava ao lado agarrou-lhe o braço…

- Ó Ribeiro deixe lá isso… Não faça isso homem…

 Soltou-se, apertou o casaco…

- Vamos à caranga que lé come-se como deve ser. Logo conversámos – disse ameaçador olhando a esposa.

As crianças choravam encostadas a um canto. Tinham-se levantado da mesa de um salto e apertavam-se as três no canto da cozinha.

Luísa Ribeiro limpava as peças da loiça e a papa de sardinhas e cebola.

- Calai-vos que eu guardei umas sardinhas no forno. Comemos, bebemos e logo vemos…

publicado por JP às 17:48
| comentar | favorito
|