links
arquivos

Março 2017

Novembro 2016

Outubro 2016

Abril 2016

Dezembro 2015

Novembro 2015

Setembro 2015

Agosto 2015

Julho 2015

Abril 2015

Março 2015

Dezembro 2014

Novembro 2014

Outubro 2014

Setembro 2014

Julho 2014

Junho 2014

Maio 2014

Abril 2014

Março 2014

Fevereiro 2014

Janeiro 2014

Dezembro 2013

Novembro 2013

Outubro 2013

Setembro 2013

Agosto 2013

Julho 2013

Junho 2013

Maio 2013

Abril 2013

Março 2013

Fevereiro 2013

Janeiro 2013

Dezembro 2012

Novembro 2012

Outubro 2012

Setembro 2012

Agosto 2012

Julho 2012

Junho 2012

Maio 2012

Abril 2012

Março 2012

Fevereiro 2012

Janeiro 2012

Dezembro 2011

Novembro 2011

Outubro 2011

Setembro 2011

Agosto 2011

Julho 2011

Junho 2011

Maio 2011

Abril 2011

Março 2011

Janeiro 2011

Dezembro 2010

Novembro 2010

Outubro 2010

Setembro 2010

Agosto 2010

Julho 2010

Junho 2010

Maio 2010

Abril 2010

Março 2010

Fevereiro 2010

Novembro 2009

Outubro 2009

Setembro 2009

Agosto 2009

Julho 2009

Junho 2009

Março 2009

Fevereiro 2009

Janeiro 2009

Setembro 2008

Julho 2008

Junho 2008

Fevereiro 2008

Janeiro 2008

Dezembro 2007

.......................
pesquisar
 
Março 2017
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
11
12
13
14
15
16
17
18
19
20
21
22
23
24
25
26
27
28
29
30
31
tags

todas as tags

favorito

SO LONG LEONARD...

TRANSGÉNERO...

SO LONG LEONARD...

MARILYN AND JOE DiMAGIO

FELIZ ANIVERSÁRIO

AQUECEDOR

blogs SAPO
Sexta-feira, 16 de Novembro de 2012
CONHECIMENTO

- Estão a bater? Rapaz vai ver quem é – virou-se para o René que estava sentado na ponta do banco.

René levantou-se de um salto com um “licença meu pai” entre dentes e logo voltou a correr…

- É a “fessora” da Tita, quer falar consigo meu pai.

O Sr. Ribeiro poisou a colher na malga da sopa, bebeu um gole de vinho, levantou-se resmungando “já nem se pode comer na paz do senhor…”

A Rosa tinha entrado para a escola no ano anterior. As letras e os números harmonizaram-se em si, e no último período a professora colocou-a junto com as alunas da 2ª classe. Este ano começara faz quinze dias e ainda não se tinha matriculado…

À mesa, entre uma colher de caldo e outra, Rosa tentava ouvir a conversa que se passava ao portão de entrada, entre o pai e a professora.

Sr. Ribeiro, eu peço-lhe que deixe a sua filha continuar na escola. Ela é muito esperta e é uma pena que não continue…” dizia a professora com voz grave. Do pai ouvia “vou pensar, vou pensar

Se o problema são despesas, eu pago-lhe os estudos. Se deixar, ela pode até viver na minha casa. É uma pena que não continue…”. Em resposta um “vou pensar” irritado.

Entrou, sentou-se à mesa, virou-se para a filha: “Sabes ler e escrever, não sabes?”, Rosa anuiu com a cabeça.

- Então já te chega. O que ela quer é uma criada, pra ter em casa.

publicado por JP às 14:25
| comentar | favorito
|