links
arquivos

Novembro 2017

Agosto 2017

Julho 2017

Maio 2017

Março 2017

Novembro 2016

Outubro 2016

Abril 2016

Dezembro 2015

Novembro 2015

Setembro 2015

Agosto 2015

Julho 2015

Abril 2015

Março 2015

Dezembro 2014

Novembro 2014

Outubro 2014

Setembro 2014

Julho 2014

Junho 2014

Maio 2014

Abril 2014

Março 2014

Fevereiro 2014

Janeiro 2014

Dezembro 2013

Novembro 2013

Outubro 2013

Setembro 2013

Agosto 2013

Julho 2013

Junho 2013

Maio 2013

Abril 2013

Março 2013

Fevereiro 2013

Janeiro 2013

Dezembro 2012

Novembro 2012

Outubro 2012

Setembro 2012

Agosto 2012

Julho 2012

Junho 2012

Maio 2012

Abril 2012

Março 2012

Fevereiro 2012

Janeiro 2012

Dezembro 2011

Novembro 2011

Outubro 2011

Setembro 2011

Agosto 2011

Julho 2011

Junho 2011

Maio 2011

Abril 2011

Março 2011

Janeiro 2011

Dezembro 2010

Novembro 2010

Outubro 2010

Setembro 2010

Agosto 2010

Julho 2010

Junho 2010

Maio 2010

Abril 2010

Março 2010

Fevereiro 2010

Novembro 2009

Outubro 2009

Setembro 2009

Agosto 2009

Julho 2009

Junho 2009

Março 2009

Fevereiro 2009

Janeiro 2009

Setembro 2008

Julho 2008

Junho 2008

Fevereiro 2008

Janeiro 2008

Dezembro 2007

pesquisar
 
Novembro 2017
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
11
12
13
15
16
17
18
19
20
21
22
23
24
25
26
27
28
29
30
tags

todas as tags

favorito

SO LONG LEONARD...

MANDEI A ITÁLIA PRÓ CARAG...

VIAGENS...

TINTURA

DA RUA PARA O CONVENTO.

É A VIDA...

blogs SAPO
Segunda-feira, 30 de Novembro de 2009
:) LV IU :)

 

Procuraram um cantinho, o mais escondido possível, no shopping, por trás da escada rolante, onde se abraçaram e beijaram, sossegando os instintos dos seus, talvez quinze anos. Momentos abreviados pelo ronronar dos telemóveis…
Ficaram então, caras encostadas, teclando os aparelhos, em suponho, alegres sms.
publicado por JP às 14:00
| comentar | favorito
Quinta-feira, 19 de Novembro de 2009
ATCHIM!

 

- Boa tarde…
- Boa tarde…
- Eu estou a ligar para saber o resultado de uma análise de gripe A, feita ao meu filho na terça-feira…
- Aqui no hospital?
- Sim. Na terça-feira fui às urgências e fizeram a análise e hoje já sabia o resultado…
- Não sei. Não desligue, vou ligar à UCI…
(música)
 - Eu estou a ligar para saber o resultado de uma análise de gripe A, feita ao meu filho na terça-feira…
- Sim… mas não é aqui, nós aqui só fazemos os internamentos. Talvez no laboratório. Não desligue, vou passar.
(música)
- Sim laboratório…
- Eu estou a ligar para saber o resultado de uma análise de gripe A, feita ao meu filho na terça-feira…
- E mandaram-na para aqui?
- Passaram o telefonema para aí…
- Mas nós aqui não fazemos as análises à gripe…
- Mas disseram-me que hoje sabiam os resultados e como pode compreender estou um pouco ansiosa.
- Compreendo, mas aqui não sabemos de nada. Vou passar para a UCI…
(música)
- Eu estou a ligar para saber o resultado de uma análise de gripe A, feita ao meu filho na terça-feira…
- Nós aqui não temos acesso às análises. Talvez no laboratório lhe saibam dizer…
- Mas você já me passou para o laboratório, e de lá passaram para aqui outra vez…
- Então não sei. Onde fez a análise?
- Na urgência, na terça-feira.
- Então talvez lá lhe saibam dizer, vou passar
(música)
- Sim? Urgência.
- Eu estou a ligar para saber o resultado de uma análise de gripe A, feita ao meu filho na terça-feira…
- Aqui na urgência não temos acesso a análises. Isso é com o laboratório…
- Mas eu já falei com o laboratório e ninguém sabia de nada…
- É sempre a mesma coisa, ninguém sabe de nada. Mas aqui também não sei. Só se lhe passar para a UCI…
(música)
- Sim? UCI…
- Sou eu novamente. Na urgência ninguém sabia.
- Só se lhe der o número do laboratório do Porto que faz as análises. Pode ser que eles lhe digam alguma coisa.
- Mas a mim disseram-me para ligar hoje para aí que já teriam o resultado da análise. O meu filho está a tomar Tamiflu por precaução e eu quero saber se continuo ou paro com o medicamento. 
- Pois, só um momento…
( - Tenho aqui uma pessoa ao telefone por causa de uma análise da gripe. O que é que lhe digo?
- Sei lá! Diz-lhe que depois mandamos uma carta com os resultados.)
(musica)
- Sabe nós depois manda-mos uma carta com os resultados.
- Mas como uma carta. Se já passou tanto tempo, quando a carta chegar já passaram os sete dias de quarentena.
- Pois, mas não lhe posso dizer mais nada… Só se quiser ligar amanhã e fala com o chefe…
- Quando?
- Da parte da tarde. E depois ele já lhe diz como é que se faz…
- Está bem. Obrigado.
 
publicado por JP às 18:39
| comentar | favorito
Sexta-feira, 13 de Novembro de 2009
PERGUNTAR OFENDE?...

Será que um casal homossexual também precisará de ter um ano de relações sexuais desprotegidas, para entrar num programa de inseminação artificial, pago pelo estado?....

 

 

publicado por JP às 01:18
| comentar | favorito
Segunda-feira, 2 de Novembro de 2009
CONSULTAS

 

- Trouxe os medicamentos que a médica de família lhe receitou, D. Flores?
- Não. Esqueci-me completamente… mas eu moro aqui perto e posso ir a casa…
- É melhor, D. Flores… vá e depois continuamos a consulta. Já tenho a sua ficha completa…
Rosa Flores dirigiu-se a casa, apressada… O martírio já durava há tanto tempo; dois anos para ser mais precisa. Maldita alergia. Por causa dela tinha dado a sua cadelinha de estimação.
------//-------
A médica do posto diagnosticou-lhe alergia ao pelo de animais, quando ela se lhe dirigiu, faz dois anos, com os braços e o pescoço vermelhos e empolados, com riscos de arranhões e sangue de tanto ter coçado.
Ainda na última consulta se lhe tinha queixado, apesar de a médica nem para ela ter olhado, enquanto falava ao telefone, e lhe passou as receitas no computador.
- “Rais a parta”, praguejava Rosa Flores, no palavrão mais obsceno que a sua consciência lhe permitia. “Nem para mim olhou…”
A Doutora, sentada na secretária, a falar ao telefone, continuou com o auscultador poisado no ombro, marcando uma saída de sábado à noite com alguma colega, enquanto no computador procurava as últimas receitas e repetia a dose.
- Aqui tem D. Flores, tome estes medicamentos e marque consulta para daqui a seis meses…
- Mas Doutora, esta comichão não me larga, nem consigo dormir…
- Ponha a pomadinha que lhe receitei e nada de contacto com animais…
Passou um mês e nada de melhoras. Era pior com tempo quente. No inverno os sintomas ficavam mais leves. Mas este ano o calor prolonga-se.
 Juntou os cinquenta euros e foi à uma consulta de um dermatologista…
------//-------
- Aqui tem Doutor, os remédios que ando a tomar…
- Era o que pensava… Este medicamento aqui, que toma para a tensão arterial, conjugada com a exposição ao sol é que lhe provoca essa alergia. Basta pôr esta pomada que lhe vou receitar e adeus comichão…
- Ai que grande “Filha da Puta”, disse D. Rosa entre dentes…
- Disse alguma coisa D. Flores?
- Não Sr. Doutor, estava só a pensar alto…
E pela primeira vez em meses conseguiu dormir a noite toda
publicado por JP às 15:40
| comentar | favorito